segunda-feira, 17 de junho de 2013

Portugal não é um país "normal"

A TDT espanhola é para muitos portugueses uma alternativa aos serviços de televisão por subscrição “oferecidos” pelos operadores nacionais. A TDT de “nuestros hermanos” oferece vários canais generalistas e temáticos, muitos dos quais transmitem programas que em Portugal só estão acessíveis através de televisão por subscrição. É o caso, por exemplo, dos canais Disney Channel, Discovery Max ou MTV, como o blogue TDT em Portugal já divulgou.

TeleDeporte, Disney Channel e MTV, apenas alguns entre dezenas de canais recebidos por mim nos últimos dias a +200Km de Espanha


Em Espanha, mais de 75% dos telespectadores têm apenas o serviço de televisão “gratuito”, enquanto em Portugal, apesar da forte crise económica, a situação é sensivelmente a inversa. Não é necessário “puxar muito pela cabeça” para entender porque os números são tão díspares! A televisão que temos foi concebida para não beliscar os interesses dos operadores de televisão por subscrição e dos dois operadores privados. Naturalmente, a pobreza deliberada da oferta da nossa TDT, e a forma como foi implementada, tem fomentado a adesão (legal e ilegal) à televisão por subscrição. 

Como tantas vezes tenho escrito neste espaço, no nosso país, e ao contrário do que aconteceu em Espanha (e em praticamente todo o mundo), não houve dividendo digital para a população. Os cidadãos foram tarde e mal informados em tom de ameaça, tiveram que gastar dinheiro para não ficarem sem televisão e, no caso da TDT, pouco ou nada receberam em troca. Isto aconteceu devido à prevalência de determinados lobbies económicos sobre o interesse público. Os portugueses foram roubados

O que acontece em Portugal em pleno século XXI, em matéria de política audiovisual, descredibiliza o país, a política e os políticos nacionais. O proteccionismo descarado aos operadores existentes por parte do poder é óbvio! Se eu ou você abrir uma empresa ou um negócio qualquer, naturalmente que está sujeito a que a qualquer momento alguém abra uma empresa ou negócio concorrente do seu, que pode até ser na porta ao lado! Você não pode utilizar o argumento que o concorrente lhe vai prejudicar o negócio para o impedir. É o funcionamento do mercado e não há nada a fazer senão tentar ser melhor que os nossos concorrentes. Na TDT espanhola existe concorrência entre os grupos de media nacionais e estrangeiros. No caso da televisão portuguesa (FTA), o mercado não funciona e a regulação também não. É claramente um negócio protegido. Aparentemente, basta a quem já se instalou argumentar que o seu negócio não vai bem (e nunca vai bem, claro) e o poder cede aos seus interesses, sabe-se lá a troco de que favores. E assim continua-mos, desde 1993! 

Enquanto noutros países se assistiu (nalguns casos há décadas) ao nascimento de vários canais na televisão Free-To-Air, inclusivamente de televisão regional e local, há vinte anos que Portugal continua parado no tempo. Por exemplo, não tenho dúvidas que os governantes portugueses receiam as televisões regionais e locais! E chegamos ao insólito de haver canais classificados de interesse público, mas serem negados a todos os portugueses e serem utilizados para promover os operadores de televisão por subscrição. Logo, contribuindo para a marginalização da plataforma gratuita (TDT). 

Como afirmei na última consulta pública da Anacom, um balanço honesto da introdução da Televisão Digital Terrestre em Portugal deveria originar uma revisão das opções em matéria de televisão e a eliminação dos obstáculos ao livre funcionamento do sector. Perante a indiferença do Governo e do regulador, verifica-se que existe um conflito de interesses insanável entre a actividade de broadcasting e de fornecedor de serviços de televisão por subscrição. Como já alertei, isso poderá originar a não muito longo prazo o fim da televisão OTA (terrestre) e da própria televisão FTA. Provavelmente é já demasiado tarde, mas se nada for feito Portugal continuará a ser uma anormalidade em matéria de televisão e um péssimo exemplo.

24/06/2013: 
RTP compra direitos da Taça das Confederações mas transmite vários jogos só no cabo!
É o mais recente exemplo da gestão contra o interesse público a que a televisão pública nos tem vindo a habituar. Indiferente às críticas, a RTP continua sem qualquer pudor a descriminar os portugueses. Terá comprado os direitos para transmitir todos os jogos em sinal aberto, mas dá um "doce" aos operadores de televisão por subscrição, emitindo alguns só na RTP Informação. Alguém ainda tem dúvidas que o próprio serviço público está a sabotar a TDT?

26/07/2013 - A Inutilidade das Entidades Supervisoras
Como noticiei no inicio de Julho (Breves TDT), a autoridade da concorrência apresentou um estudo que acaba por dar razão a muitas das criticas que durante cinco anos e através do blogue TDT em Portugal tenho apontado à TDT portuguesa, recomendando várias soluções já propostas por este blogue. Tal como tenho afirmado, documentado e alertado, também a AdC reconhece agora que há um problema de concorrência, a TDT portuguesa está muito subaproveitada e recomenda a disponibilização de mais canais públicos e privados, tais como a RTP Memória e RTP Informação (solução proposta ao Governo pelo blogue TDT em Portugal em Junho de 2009!) e a abertura da TDT a canais regionais e locais.

As conclusões não poderiam ser outras, tais são as evidências, mas duvido da utilidade do estudo da AdC, pois chega demasiado tarde. Infelizmente, como é típico das entidades supervisoras/reguladoras portuguesas, os seus estudos, relatórios ou decisões raramente têm alguma utilidade porque, por norma, são sempre apresentados demasiado tarde para terem algum efeito positivo e, quando vão contra interesses fortes, são ignorados pelos governantes. São apenas para "mostrar serviço". Os cidadãos têm todos os motivos para questionar se estes estudos não são apresentados  "fora de horas" propositadamente, para não prejudicar os fortes interesses associados às matérias em apreciação.

Tal como noutros casos, com a TDT aplica-se(?) o ditado: "depois de casa roubada, trancas à porta". Só depois dos operadores de televisão por subscrição terem ganho milhões à custa de um processo de migração para a TDT vergonhoso (perante a passividade do Governo e das autoridades supervisoras) e colocado a televisão de acesso livre em Portugal à beira da extinção é que a Autoridade da Concorrência "fala". Tristemente previsível.

Posts relacionados: 
Comparativo TDT portuguesa / TDT espanhola
RTP vs. TDT
O (des)interesse pela TDT
Governo "chumba" RTP Memória e RTP Informação na TDT
Para que tudo fique na mesma…
TDT: Blogue TDT em Portugal apelou ao Governo

35 comentários:

Alex disse...

Obrigado mais uma vez, pela exposição de vários conteúdos importantes para todos. Sou leitor assiduo do seu Blog e é de louvar o seu esforço em levar a todos os Portugueses, as razões do falhanço da nossa TDT, porque ainda há pessoas apesar de tudo, que ainda não sabe o que é e para que serve...
A semana passada apanhei algumas emissões vindas de Huelva e estava a dar o Moto3 na Energy, cá como somos ricos, pagamos tudo. E o Discovery MAX apesar de ser um canal diferente daquele que vemos em Portugal, está em sinal Aberto, a Disney e o MTV ES equivalente ao nosso em sinal aberto também... É um autêntico monopólio em pleno Séc. XXI, obrigado mais uma vez!!!
Aqui poderá ver algumas das minhas captações...

Rui Caridade disse...

Também não existe grande vontade de mudar.Pelo menos no caso da RTP Memória/Informação deve estar a ser cometida alguma ilegalidade. Não faz sentido pagar uma contribuição para um serviço e depois nem poder usufruir do mesmo sem pagar outro serviço. Deve ser como está na berra dizer anti constitucional. O futuro pela televisão em Portugal como referido desde o principio desta "pseudo implementação" que não passa por transmisões OTA.

Anónimo disse...

Acho que para esta constatação de "Portugal não é um país "normal"" não é necessário um curso nem muito estudo aprofundado.
O país é apenas um espelho daquilo que querem dele.
Pode-se tirar as pessoas da porcaria, mas nunca se tira a porcaria das pessoas. Portugal é igual... tirou-se Portugal da porcaria, mas nunca se tirou a porcaria de Portugal.
Em países estrangeiros as pessoas de má indole geralmente não vão pra cargos de relevância na sociedade e muitas vezes são convidados de forma suave a mudarem de país ... já em Portugal chamam-se-lhes políticos, doutores ou engenheiros...

Yagi disse...

@Alex, obrigado pelas palavras de incentivo.

@Rui, podem não ter sido exactamente com estas palavras, mas o anterior administrador da RTP disse (com ar visivelmente chateado) que a RTP Informação e Memória não custavam um euro aos contribuintes, que eram integralmente pagos pelas receitas do cabo. Mas a administração da RTP recusa-se a prestar mais esclarecimentos sobre a separação do negócio dos canais do cabo, que já foram pedidos, inclusivamente por mim. Há todos os motivos para duvidar das garantias dadas pela RTP.

É claro que a maioria da programação emitida pela RTP Memória já foi paga pela contribuição audiovisual (e anterior taxa de televisão) e pelos nossos impostos. Todos pagaram, mas só alguns (os que voltam a pagar) podem rever os programas. Além disso o custo com programas é baixíssimo, porque são programas antigos com custos de direitos de autor muito baixos. A questão do custo dos canais é uma falsa questão, como aliás já desmontei num post anterior.

Rui Caridade disse...

@Yagi - Um dos exemplos que mais me faz ficar triste é o do ciclismo. Por influência do meu avô segui bastante a Volta à França em bicicleta.Que dá integralmente na RTP Informação , com os custos de licensing associados, e apenas aos sábados na RTP2. Não acredito que as receitas do cabo pague isso tudo e até os custos para transmitir na RTP2.

Yagi disse...

A RTP é cada vez mais um Cavalo de Tróia ao serviço da Z*N e do M*O.

Anónimo disse...

@rui
Não é só a volta à França em Bicicleta.

Tens agora a Taça das Confederações que a RTP pagou os direitos à FIFA para emissão em sinal livre... e está a transmitir os jogos em sinal fechado.

Acerca dos valores, o yagi já disse tudo. A rtp apresenta as despesas com a RTP Info e a RTP Memória só com as despesas "de emissão". Não incluem os ordenados dos jornalistas, equipas técnicas, do espaço, as deslocações e todas as despesas agregadas... porque esses valores são atirados para a RTP 1 ou canal 2.

A verdade é que a RTP está presa à publicidade dos operadores de cabo. Eles é que lhes dizem que se a rtp não lhes fornece os canais aos valores que eles oferecem, senão eles retiraram a publicidade.
O mesmo se passa com os canais privados, como podem ver pela TVI, que passa publicidade aos seus canais fechados durante mais de 1 minuto dos seus noticiários ou durante os 90 minutos dos jogos de futebol que transmitem.

Anónimo disse...

No caso concreto da Taça das Confederações podiam perfeitamente transmitir os jogos na RTP 2, que há uns anos tinha muito desporto em directo... e agora é só enlatados.
Mas claramente a RTP escolheu um campo contrário ao do interesse dos portugueses.
No enrtanto creio que os direitos foram comprados pela UER que os distribuíu pelos associados, o que não muda em nada a questão.

Anónimo disse...

O Mário Figueiredo disse que a TDT "é ineficiente" e falou das 30 mil queixas na DECO.

serbenfiquista.com/usernews/%C3%A1udio-m%C3%A1rio-figueiredo-parlamento-monop%C3%B3lio-zon-meo-sporttv-vs-slb

Anónimo disse...

Tenho lido muito que a TDT, de cá é fraca e que a da Espanha e França é maior... Mas como é possível comparar? Quando as populações são muito maiores que a nossa.
Eu nunca ouvi a Fox, a dizer que quer um canal na TDT, ou a SIC a dizer que quer ir para lá com a SICN por exemplo.
E a meu ver a razão é simples. Não existe publicidade que pague tantos canais em aberto. O mercado publicitário cada vez mais se queixa da falta da publicidade, com o atual número de 4 canais, quanto mais com mais.
Esses canais que todos querem, sobrevivem na televisão por subscrição porque os operadores o financiam.
A única solução que vejo é o aumento da Taxa de Televisão, para o estado poder pagar para haver mais conteúdos.

Yagi disse...

«Tenho lido muito que a TDT, de cá é fraca e que a da Espanha e França é maior... Mas como é possível comparar? Quando as populações são muito maiores que a nossa.»

Há vários países, mais pequenos e com menos habitantes que Portugal e a sua TDT emite mais canais. As razões porque não há mais canais na TDT são outras, já expostas.

«Não existe publicidade que pague tantos canais em aberto. O mercado publicitário cada vez mais se queixa da falta da publicidade, com o atual número de 4 canais, quanto mais com mais.»

Tantos canais em aberto?! Deve estar a brincar... Há 3 canais com publicidade. E o mercado publicitário não se queixa de falta de publicidade. Quem se queixa são as televisões.

Esses canais que todos querem, sobrevivem na televisão por subscrição porque os operadores o financiam.
Quem os financia são os assinantes de televisão por subscrição. E a maioria dos quais são assinantes de tv por subscrição porque a TDT é deliberadamente pobre.

A única solução que vejo é o aumento da Taxa de Televisão, para o estado poder pagar para haver mais conteúdos.

Afirmação típica de alguém ligado a um partido no poder: ameaçar com o aumento da taxa audiovisual para tentar silenciar as críticas. Como todos sabem, o Estado não pode pagar canais privados.
Enfim, os portugueses não são parvos...

Alex disse...

Se a publicidade que temos é pouca, é porque os canais o querem fazer transparecer cá para fora... tomemos os exemplos de páises equiparados ao nosso e todos eles têm mais canais que nós, as pessoas é que não sabem lutar pelos seus direitos, há canais que pagamos e deveriamos te-los na TDT... Dou-lhe apenas dois exemplos, um deles nada têm haver, mas por exemplo em Marrocos existem 8 canais pelas capturas que tenho feito, com direito a um canal de filmes, um de desporto e um de desenhos animados... Aqui ao lado é simples, sabe como aguentam tantos canais? Recorrem ao que muitos canais pela Europa fazem, alugam espaço da sua programação para publicidade a partir de certa hora e não é por isso que se "atropelam" basta dizer-lhe que canais como Disney ou Discovery Max estão disponiveis para todos os espanhois. Quanto à publicidade de que lhe falei, Paramount Channel canal de filmes, recorre a essa publicidade, o La Sexta o mesmo e outros mais fazem o mesmo... Penso que chega!

Anónimo disse...

Mas olha que eu já ouvi dizer que as tv comerciais portuguesas queixam-se que fox, axn..., sediadas em Espanha, emitem publicidade em espanhol em Portugal, prejudicando mercado publicitário português. Esquecem-se que são eles que tb estão ajudar esses canais a crescer no, mercado português.
O que eles não dizem é que apesar de apenas terem à volta 70% das audiências recebem mais 90% das receitas publicitarias de tv e mais cerca de 100 milhões dos serviços tv paga para ficar caladinhos. Isto ajuda explicar que em Espanha, no mês de maio, novo record para tdt(82,5% do mercado) e serviços tv paga 13,2%. Mercado pede licença para mais nove canais. Aqui esta a acontecer o inverso.

Yagi disse...

A grande maioria dos países, com a transição para a TDT, aumentou a oferta de canais Free-To-Air. Países maiores que Portugal, menores que Portugal, mais ricos ou mais pobres, na Europa, África, Ásia, América Latina. Essa informação está disponível para quem duvidar do que é escrito neste blog.

Relativamente à publicidade. As televisões (com excepção das públicas) são um negócio e existem para vender publicidade. Em Espanha, a partir da madrugada as generalistas e as locais emitem jogos, chats, vidência e erotismo. Como disse o Alex, isso acontece por todo lado, incluindo Portugal onde a SIC e a TVI também emitem jogos.

Eu não discuto se há espaço para mais canais generalistas, provavelmente não há e provavelmente não iriam contribuir para melhorar a televisão FTA portuguesa. O que eu sempre defendi (como está profusamente documentado neste blog) foi a disponibilização de canais TEMÁTICOS, começando pelos do serviço público: RTP Memória e RTP Informação.

Em Portugal não há temáticos na TDT porque a nossa TDT foi deliberadamente arquitectada para não fazer a mínima concorrência aos operadores de TV por subscrição. E, como também já referi, a RTP os operadores privados estão a apostar na televisão por subscrição e a marginalizar completamente a TDT. Todo o processo de transição foi conduzido de forma a chegarmos a este resultado. Não esqueçam que a TDT é um serviço promovido pela Meo da PT, como foi recordado no final deste post.

Santos disse...

Para conseguir que alguma coisa mudasse na TDT era preciso uma desistência de clientes em massa dos operadores pagos mas é muito difícil mudar a mentalidade dos portugueses nessa matéria. Eu conheço muitas pessoas, e deve haver muitas mais, que estão a receber o subsídio de desemprego ou o RSI e não prescindem da TV paga (muitos deles com canais premium para além do pacote base), mesmo tendo fácil acesso à TDT.
Esta nossa luta interna por mais canais é um bocado quixotesca. Talvez só levando as nossas reclamações e pretensões às instâncias europeias é que se conseguiria alguma forma de pressão mais eficaz. E digo "talvez" porque não sou especialista na matéria.

Anónimo disse...

Olha eu também conheço alguns. Provavelmente o requisito necessário para ter acesso a essa ajuda é ser assinante de serv. tv paga.

Yagi disse...

As TV's portuguesas apostam nos operadores de TV por subscrição e marginalizam a TDT. Como afirmei no post o mercado não funciona. Mais, aproveitaram as dificuldades de recepção (muitos casos sem culpa do sinal) para dar uma má imagem da TDT e promover (mesmo não sendo essa a intenção) os operadores de TV por subscrição. Para alem da publicidade constante, ainda promovem diariamente nos seus programas as operadoras de tv por subscrição.

A maioria dos portugueses "vai atrás da Maria", cala e come aquilo que lhe empurram goela abaixo e prefere não enfrentar a realidade. Os governantes sabem disso e por isso deixam andar. Dos governantes não há que esperar nada.

Muitos assinam a TV por subscrição devido à enorme pressão das operadoras que através de vendedores/promotores/angariadores manipulam as pessoas mais frágeis.

É triste que não sejamos capazes de resolver os nossos problemas internamente. Como já escrevi, penso que a nível europeu o problema poderá ser explorado pela comissão da concorrência da Comissão Europeia.

José Santos disse...

Parabéns caro Yagi pela tenacidade na exposição de uma temática de exploração de exclusivos limitativos em prejuízo do público e do Estado, escândalo que não desmerece em relação ao das PPP (só não ficou tão caro aos contribuintes, por enquanto) e que mereceria investigação criminal pelo DCIAP. Conhecendo a mentalidade nacional de novo-riquismo básico, não seria seguramente por aparecerem dois ou três canais novos em sinal aberto que iria colapsar o mercado da subscrição. De resto nem em Espanha, Inglaterra e quejandos, que têm muitos e bons canais livres desapareceram as Digital+, Sky,...
Impunha-se avançar com qualquer coisa na TDT para, pelo menos, "enganar o povo": transmissão em HD dos canais disponíveis, ou abertura de um novo 5.º canal generalista ou, pelo menos, a junção dos canais da televisão pública, por todos financiados (taxa audiovisual, compensações,...).

Embora um pouco off-topic, como resido em Gaia (suponho que mais próximo de Espanha que o meu caro blogger) gostaria de saber que equipamento (antena/amplificador/receptor TDT) utiliza para ver a TDT espanhola no seu local de origem. Era tentador voltar a usufruir dessa oferta (que me lembro ter tido nos tempos da minha infância com uma simples antena no telhado, que me fez descobrir em primeira mão o Verano Azul). Calculo que o sinal presentemente disponível nem sempre será estável e a minha situação estará dificultada por morar numa moradia quase à altitude do mar, mas caso lhe seja possível dar umas pistas nessa área agradecia, até por estar particularmente interessado em tentar, só preferia não o fazer "à toa" (adoro_at_aeiou.pt).

Yagi disse...

Há várias dicas sobre recepção da TDT espanhola nos vários posts dedicados ao assunto (TDT DX) e respectivos comentários. No meu caso, tanto a antena como a electrónica é de minha concepção e fabricação, mas há equipamentos de boa qualidade no comércio. Não menciono marcas por motivos óbvios. O mais importante é a localização.

Por ter tomado conhecimento, aproveito para chamar a atenção de eventuais interessados que alguns instaladores estão a prometer a captação da TDT espanhola em locais que NUNCA poderão recebê-la de forma razoavelmente estável. Aparecem para fazer a instalação em dias de boa propagação e quando as condições desaparecem o sinal perde-se, naturalmente.

@José Santos,
No tempo do analógico, com condições favoráveis de propagação recebia TV espanhola várias horas por dia. Ainda coloquei algumas capturas no blog. Antes do encerramento das emissões em VHF era ainda mais frequente receber-se a TVE1 em muitos locais do litoral desde a Galiza.

Em Gaia, apesar de estar muitas dezenas de Km's mais perto de Espanha do que eu, poderá receber TDT espanhola, mas "por estas bandas" será sempre ocasional, como sempre tenho alertado.

JR disse...

Ja começa haver fumo...
http://tek.sapo.pt/noticias/telecomunicacoes/tdt_em_portugal_esta_aquem_das_possibilidades_1325482.html

Yagi disse...

Mais um estudo feito por um organismo de Estado e que deve ter custado bom dinheiro a todos nós. Será mais um estudo/relatório para ficar na gaveta? Depois de casa roubada...

O certo é que vem já muito tarde. Poderia-se chegar a muitas das conclusões há muito tempo. Várias situações e soluções propostas foram aqui por mim abordadas, nalguns casos há anos!

Propõe a disponibilização da RTP Memória e a RTP Informação em canal aberto e a abertura da TDT a canais regionais. Considero positivo.

Veremos se esta posição da AdC e a da ERC têm força para vencer o lobby da tv por subscrição e dos barões instalados da TV portuguesa.

Nota: recebi vários comentários com o mesmo link, publiquei o primeiro recebido.

Anónimo disse...

Temos um canal parlamento que funciona em Part-time.
Depois, surgem situações como ontem, ás 16:45 quando um grupo de manifestantes protestavam nas galerias, o canal parlamento corta a emissão durante 30 minutos "por motivos técnicos".
Quando voltaram parecia que nada tinha acontecido na Assembleia da República. Só ás 20h é que os portugueses poderam ver o que realmente se passou, porque no canal parlamento ficaram a ver uma imagem com as palavras "retomaremos a emissão em breve".

Yagi disse...

Eu alertei! O canal parlamento NUNCA deveria ter entrado na TDT sem um alargamento da oferta de canais.

Temos um canal part-time, que na TDT é visto por cerca 200 pessoas/dia e que para cúmulo ainda por cima CENSURA o que se passa na casa da (suposta) democracia. Não me surpreende de todo, pois o canal foi IMPOSTO aos portugueses pelos mesmos políticos que impediram a disponibilização da RTP Memória e da RTP Informação.

Gostaria que os Srs. jornalistas perguntassem aos vários responsáveis do canal, eles próprios deputados, o que têm a dizer sobre o canal ter interrompido a emissão em directo para não transmitir o que se passou no parlamento.

Anónimo disse...

Eu tenho uma visão um pouco diferente. Vivo em Espanha à pouco tempo e aquilo que vejo é que a TV em Espanha é péssima! Ponto. Seja ela por TDT, canais gratuitos ou canais pagos.
E quando vamos para os canais pagos, paga-se quase o dobro do que se paga em Portugal para um serviço péssimo. Em Madrid, em pleno centro da cidade onde moro nem sequer existe Fibra Optica.
Se quiser contratar serviço de internet com TV pago a modica quantia de quase 60 euros e a internet não vai além dos 10MB!!! E os canais estrangeiros são todos dobrados, um péssimo habito dos espanhois.
E falando em proteccionismo? Pois, é isso mesmo que existe em Espanha. A Movistar move-se à vontade no meio, como se fosse tudo dela. Se em Portugal quando vamos à PT e à Meo somos normalmente bem atendidos quando queremos comprar algo (o "depois" já é outra conversa) aqui funciona tudo como se a Telefonica fosse uma repartição publica.
Nunca pensei dizer isto, mas Portugal, em matéria de serviços de internet e TV põe a Espanha num cantinho muito pouco bonito.
A exceção é que realmente a TDT não vingou... mas sabem o que ocupa a TDT aqui? Canais regionais que NINGUEM vê.

Yagi disse...

«Em Madrid, em pleno centro da cidade onde moro nem sequer existe Fibra Optica.»

Em muitas cidades portuguesas acontece o mesmo e muitas vezes nem ADSL decente há.

«E falando em proteccionismo? Pois, é isso mesmo que existe em Espanha.»

Se em Espanha há proteccionismo então em Portugal nem se fala! Em Portugal só UMA empresa pode emitir televisão: a PT. Em Espanha são VÀRIAS as empresas de broadcasting e há dezenas de operadores cabo/IPTV/satélite.

«E os canais estrangeiros são todos dobrados, um péssimo habito dos espanhois»

É falso! Pelo menos na TDT NÃO SÂO! Vários canais emitem dois streams audio, som dobrado e som original (não dobrado).

«a TV em Espanha é péssima!...mas sabem o que ocupa a TDT aqui? Canais regionais que NINGUEM vê.

A sério? 30 canais FTA nacionais e o que ocupa a TDT são canais regionais?

Canais temáticos gratuitos com som original, dobragem e legendagem como Discovery Max, Nova, Neox, Paramount, MTV e Disney Channel e a televisão em Espanha é péssima?

É uma opinião contrária à de centenas de milhares de portugueses que assistem à TDT espanhola e aos próprios espanhóis que afirmam em inquéritos gostar da sua TDT.

Anónimo disse...

http://tek.sapo.pt/noticias/negocios/zon_ganha_clientes_em_varias_frentes_e_melhor_1329162.html

Fui o primeiro a comentar esta notícia do Tek do sapo... Depois queixem-se que a TDT não tem diversidade de canais quando não houver dinheiro pro luxo.

Anónimo disse...

Para o anónimo de 21 de Julho:
Moro perto da fronteira com Espanha e ou você não sabe usar um descodificador de TDT ou está tão habituado aos MEO/zon cá de Portugal que lhe impigem tudo e mais alguma coisa e que você fica contente com o que oferecem.

Na verdade, acerca de não existir fibra nas cidades espanholas, a razão é simples: para que quer mais de 10mb quando não usa metade disso em 99,9999999% das situações?

Cá em Portugal o governo subsidiou as instalações de fibra óptica e as operadoras de cabo apostaram nisso porque têm centenas de milhares de clientes.
No caso espanhol as operadoras não avançam com isso... porque o principal interesse dos clientes das operadoras de cabo são as televisões.
Quando em Espanha esse negócio não existe, também não existe investimento.
Cá em Portugal existem centenas de milhares de pessoas que pagam por linhas de 400mb... mas nem 20mb têm... muitas vezes nem 5mb.
Mas, como não necessitam deles, ninguém se preocupa.

Como disse, vivo numa aldeia a 30km da fronteira. Consigo apanhar 25 canais de Tv e 34 de rádio. Nos canais ligados à TVE e nos regionais, é tudo traduzido. No entanto, boa parte dos programas permitem mudar o audio para a versão original.
O ano passado 3 canais tiveram o dia de Portugal. Emitiram de vários locais perto da fronteira e vários filmes portugueses. Também estavam dobrados em Espanhol mas, podia-se alterar o audio para Português.
Até as legendas podiam ser em basco, espanhol e português.
Cá em Portugal, nem no cabo temos essas opções...

Yagi disse...

Em Espanha HÁ ofertas de fibra óptica e de vários operadores! Não esquecer que em Portugal a cobertura por fibra óptica também ainda é muito reduzida! E nem sequer há ADSL com qualidade/velocidade decente na maior parte do país (principalmente fora das cidades).

Em Portugal, fora das zonas com cabo ou fibra óptica (a maior parte do país), os preços pelos serviços são substancialmente mais caros e de qualidade inferior. Basta comparar com as ofertas de televisão por satélite, por exemplo.

A PT anunciou em 2009 que em 3 anos iria proceder à instalação maciça de fibra óptica em casas e nas empresas. Os 3 anos já passaram e a fibra óptica não cobre sequer integralmente as cidades. Enquanto os operadores conseguirem taxas razoáveis de adesão aos serviços satélite não há verdadeiro incentivo a ampliarem a cobertura de fibra óptica.

Tal como aconteceu com o cabo, que só chega a uma pequena fracção do país, com a fibra óptica vai suceder o mesmo. Quem não tem acesso a TV por cabo (e quer) tem que recorrer às ofertas satélite (substancialmente mais caras e de qualidade inferior). Quem não tem acesso à fibra (e necessita ou quer ter velocidades elevadas) terá que contratar o serviço 4G, também substancialmente mais caro e tecnicamente inferior (embora com a vantagem de ser móvel, naturalmente).

Ter também presente que os salários em Espanha são substancialmente mais altos que em Portugal.

Anónimo disse...

Yagi, para veres a ignorância de certas pessoas, no link do tek sapo, num dos comentários existe a pergunta:"Para teres internet deves ter algum pacote de tdt?"
Para mim isto explica muita da ignorancia do povo e que provavelmente as operadoras usam o factor das pessoas quererem ter internet e à conta disso que precisam de ter pacotes completos para o serviço funcionar plenamente.
Há umas semanas atrás veio uns comerciais, daqueles porta-a-porta, da "vodacome" e insistiram imenso para aderir ao triple-play deles que era oferta boa e que teria linha dedicada que iria fornecer os megas todos sem quaisquer problemas e que davam pontos e afins... mesmo eu dizendo que não queria continuavam a insistir.
O desespero destes operadores é tanto que todos os dias recebo chamadas para o meu telefone ou telemóvel, os quais eu não atendo ou queimo a chamada, só para impingirem o lixo deles e receberem comissões à conta do zé-pato.
A esses comerciais disse-lhes na cara mesmo:"A tdt tá do jeito que está que é para benificiar só mesmo as empresas de pay-tv." Retorquiram-me eles:"É o país que temos e temos que viver como nos deixam"
Respondi-lhes:"É o país que temos, ponto e virgula. São mas é os lobbies das operadoras que capturaram a TDT para proveito próprio, porque provavelmente quem está no governo ou no parlamento tem interesses que as acções das empresas de pay-tv valorizem à conta da miséria do povo que para estar IN até passa fome para pagar facturas exorbitantes.
O tempo passa, as instituições vêem, comentam o que está mal, mas nada acontece. O povo quer mais da TDT, além da cobertura, mais canais, mais interactividade e simplesmente nada acontece.
Quando aparecem esses estudos a demonstrar que a TDT tá a falhar comparado com a restante Europa as operadoras de pay-tv atacam em todas as frentes com o slogan: "Onde a TDT falha, nós dá-mos mais e melhor... mas a um preço, claro!".
Bem, o texto já vai longo... mas isto já começa a dar mais voltas que uma montanha russa só pra ir parar ao mesmo sítio e não acontecer nada.

Anónimo disse...

Não me estava a referir que não existiam operadores de fibra óptica em Espanha... Eles existirem existem... não são é tão "largos" como cá em Portugal.

Na região de Salamanca, que conheço bem, existem 2 operadoras que têm o centro da cidade com fibra óptica... e tem um corredor que também têm fibra. Corredor esse que termina na zona industrial.
Aí sim as empresas todas possuem fibra óptica.
Para o pessoal dos arredores da cidade, não existe fibra.
A vodafone até era a operadora que tinha mais clientes naquela região, quando encerrou as suas actividades de telefonia fixa, passou muitos clientes para outras operadoras e outros para cobertura móvel por um preço inferior ao que tinham. E não tinha fibra. Era cabo.
A 3km da entrada de Salamanca, num povoado com cerca de 10000 habitantes, existe 1 operadora que só vende serviços de internet-telefone de há 3 anos para cá.
Antes vendiam ao bom estilo das operadoras portuguesas. Depois de a crise atingir espanha e a TDT passar a ser a televisão básica, eles desistiram de fornecer televisão. Acabaram com as subscrições de pacotes que tinham televisão. Na altura que o AXN e um canal de desporto apareceram na TDT como canais pagos, as operadoras até oferecerem 1 ano desses canais a quem ficasse com eles só a usar a net-telefone.

Por isso é que disse que as operadoras não se comportam como acontece cá em Portugal, onde vendem televisão por cabo como se não existisse mais nenhuma opção disponível.

Anónimo disse...

Acho que alguém se esqueceu de falar dos preços absurdos praticados pela PT para transmissão de um canal na tdt. Essa situação não abona em nada o aparecimento de potenciais investidores.

Yagi disse...

O valor cobrado pela emissão do sinal TDT às televisões já foi referido por diversas ocasiões. Ele é substancialmente inferior ao que as televisões pagavam antes pela emissão do sinal analógico. Logicamente que se fossem emitidos mais canais os custos seriam mais baixos.

Yagi disse...

NOVIDADE! A RTP já emite audiodescrição na TDT. Após o post dedicado ao assunto audiodescrição publicado pelo blogue TDT em Portugal: TDT portuguesa esquece os invisuais, a RTP começou ontem a emitir audiodescrição através da TDT.

Vladmir disse...

Portugal não está só. O Brasil está copiando os patrícios. Estamos limitados aos mesmos canais de sempre (bem verdade com alguns programas em HD), dado que, a multiprogramção é proíbida por lei. Tudo em benefício das Organizações Globo, que poderá seguir liderando com folga o quadro de audiências. Para variar as Organizações Globo é controladora da NET Brasil e SKY Brasil, as duas maiores empresas a oferecer televisão paga no país.

Yagi disse...

Em São Paulo, a televisão digital terrestre emite mais de 50 canais. Há também emissoras locais há muitos anos o que é uma miragem em Portugal.